sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Ano Novo

Meia-noite. Fim

de um ano, início
de outro. Olho o céu:
nenhum indício.

Olho o céu:
o abismo vence o
olhar. O mesmo
espantoso silêncio
da Via-Láctea feito
um ectoplasma
sobre a minha cabeça
nada ali indica
que um ano novo começa.

E não começa
nem no céu nem no chão
do planeta:
começa no coração.

Começa como a esperança
de vida melhor
que entre os astros
não se escuta
nem se vê
nem pode haver:
que isso é coisa de homem
esse bicho
estelar
que sonha
(e luta).

Ferreira Gullar


segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Eu sei, parece importante ficar em silêncio.

principalmente eu, que não estou sempre disposta a me deixar conhecer por outros.
Quer saber, talvez escrever nessa caixinha aqui ajude.
Eu ainda sonho com você quase todas as noites, e adoro as que você não aparece. Eu não gosto de acordar e sentir que pode estar com [em] você o que falta em mim.
É saudosismo olhar pra trás, relembrar momentos que já se foram há tanto tempo, e focar somente as coisas boas; ainda assim é tão inevitável...
Inevitável também porque aconteceram muitas coisas boas entre nós! Tantas descobertas, tantas risadas. O amadurecimento também.
Eu não mais corria e largava a mochila no chão pra te abraçar, pois sabia que seria recebida com um olhar repressor. Seus olhares repressores foram peça-chave pra tudo ter ficado escuro.
E como ficou!
E eu, imediatista que só, resolvi estragar tudo. Tá bom, foram uma série de fatores em série que nos levaram a esse estado de separação. Mas prefiro lembrar assim - você do bem, eu do mal.
Contraditório? Claro que sim. Nao há o quê ou quem não o seja.
Enfim. Eu sinto falta. Sinto faltas. Muitas. Inumeráveis. E passa um filminho aqui dentro com os melhores momentos do nosso relacionamento.
Mas, "de que importa manter tantos dissabores, e mastigar pregos pra conter as dores?"
Até porque tenho plena consciência que não gosto da pessoa que você se tornou. Eu gosto do que você era, do que nós éramos. Insisto em querer guardar comigo tudo que ficou em algum lugar perdido. Só que isso tudo não existe mais.
Isso tudo não existe mais.
Isso tudo não existe mais.
Isso tudo não existe mais.
Isso tudo não existe mais.
Isso tudo não existe mais.
Isso tudo não existe mais.
Isso tudo não existe mais.
Isso tudo não existe mais.
Isso tudo não existe mais.
Pronto.
Ponto.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010


Depois de um longo ano acadêmico, me peguei pensando no quanto 2010 foi bom comigo. Eu já disse isso aqui, mas preciso repetir que as minhas melhores decisões são tomadas na correria, às vezes a partir de uma confusão, um transtorno, uma decepção. E a minha escolha por minha atual pesquisa e orientadora foi assim. Estava em meio a um leque de opções tentadoras... Sabe aquele lance do C.F.A, "Vou olhar os caminhos, o que tiver mais coração, eu sigo."? Aconteceu. Cresço a cada dia mais, academicamente, psicologicamente, intelectualmente, e como gente também. E, minha orientadora me faz acreditar, todos os dias, que a vida pode, sim, ser como nos filmes; e também como nas dissertações de mestrado e teses de doutorado.


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Selos!

Já tinha visto alguns selos de blogs por aí, mas nunca imaginei que ganharia algum!!
Muito obrigada, Poly! Muito legal =)

"Digno de ser Lido":

"Escritores Virtuais":


Este é indicado para blogs que você gosta de freqüentar:



Quando recebe este, deve escrever 10 coisas sobre você:


Então vamos lá, rs

1. Eu sou filha única;
2. Eu adoro ficar em casa;
3. Eu sou vegetariana;
4. Eu amo tatuagens;
5. Eu sou professora de inglês, e tenho uma turma só com alunos da 3ª Idade;
6. Eu gosto de desafios;
7. Eu sou muito boa em sonhar acordada;
8. Eu converso durante o sono;
9. Eu ainda vou morar no litoral;
10. Eu acho difícil listar coisas sobre mim, mas, como adoro desafios...

Os blogs que escolho pra levarem esses prêmios, na condição de seguirem as mesmas regras, são:

- O blog da Tálita;
- O blog da Teice;
- O blog do Antônio;
- O blog do Bruno.

P.S.: Acho que vai ser divertido saber mais 10 coisas sobre @s supra-citad@s.

domingo, 28 de novembro de 2010

Poema da sexta-feira

Sexta-feira é um dia bonito
que guarda todos os acúmulos da semana;

o acúmulo do cansaço

o acúmulo da irritação

o acúmulo da desilusão.

Sexta-feira é um dia ímpar e par

par a partir de domingo

ímpar a partir de segunda

dúbio, com altos e baixos,

sem nem mesmo rimar.

Sexta-feira é um dia interessante

todos correndo pra lá

alguns poucos correndo pra cá

ocupados com seus eus

e sem qualquer tempo a esperar.

Sexta-feira é
um dia ensolarado
mas que começa com chuva

e insiste em esquentar

se move de ônibus em ônibus

pra.. o quê? o que será?

Sexta-feira é um dia cheio de gente
gente boa, gente chata
gente que já perdeu a graça
gente (des)necessária
e muita, muita gente que nem se sabe.
Sexta-feira é um dia solitário

sentado no chão atrás de um prédio

com fones nos ouvidos, um ídolo a gritar

algumas lágrimas a acorrentar o coração
e um movimento do cérebro a cada passo .

quinta-feira, 25 de novembro de 2010


correm os dias, os carros, as pessoas
e eu insisto em tentar ver,
ver tudo em câmera lenta.

da série: Haikai sem métrica

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Enquanto isso, no msn...

Mosaico - A.L.M.A. envia "galinha louca"

b. [resenhando] diz:
onde vc conseguiu isso?
Mosaico - A.L.M.A. diz:
vida loka mano
na quebrada digital no submundo favelão da internet ta ligada?
b. [resenhando] diz:
claro q tô ligada
a net é nóis
Mosaico - A.L.M.A. diz:
é nóis no md
conexão uairelés robada dus vizim
b. [resenhando] diz:
kkk
Mosaico - A.L.M.A. diz:
colocando bombril na anteninha do modem
huahuauhuhauhhua
b. [resenhando] diz:
AUHEAUHEUAHEA
Mosaico - A.L.M.A. diz:
pode crer nóis é raker da periferia digital mano
b. [resenhando] diz:
kk
to rindo demais
tenho q salvar
Mosaico - A.L.M.A. diz:
huauhahuahuahu iiii copia não ein mina
vo pedir direito autoral
b. [resenhando] diz:
pode pedir
mas q eu vou copiar eu vou
Mosaico - A.L.M.A. diz:
se pá eu chamo uns truta meu e nois tudo dirruba sua coenxão ein
nois dá porrada em p2p
huahuauhahuahu
nois rakeia seu orkut e seu msn q vc nunca mais entra.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

ELAS

que me cospem na cara e dão risada; que me amam, me odeiam, me largam e voltam. Sempre voltam! Elas que fracassam e me [e se] frustram; me frustram tanto que cada vez mais quero dominá-las, prendê-las, fazê-las minhas, só e tão minhas. Elas... que então não quero mais escravizar, o que quero mesmo é morar dentro delas, no exato tempo entre o pensar e o proferir . Elas que matam e eternizam, fazem nascer e crescer - ser. Elas que me mostram os caminhos, abrem e fecham as portas, fazem e desfazem os [meus e seus] sentidos, [des]construindo-os. Que me entregam, se entregam e denunciam tudo e todos a todos e tudo que há. Elas que, quando mal ditas são tão malditas. Elas, sem as quais eu nem estaria aqui, e que tenho gravadas pra sempre em meu corpo - feito tatuagem. As palavras, que desnudam e que me cospem na cara e dão risada; que me amam, me odeiam, me largam e voltam. Sempre voltam! Ainda bem.

domingo, 14 de novembro de 2010

Báh, tá loco tchê


ontem, no show dos Los Porongas

domingo, 7 de novembro de 2010




um dia acordei
com o humor de acordo com
a cor dos seus olhos.





da série: Haikai sem métrica

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Das coisas que eu amo




dormir até que
a cama me expulse.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Cuidado


Ontem quando estava arrumando minha cama pra me deitar vi uma formiguinha no meu travesseiro. Dei-lhe um tapa e continuei a arrumar. De repente ela estava lá novamente, sobre meu lençol. Mandei-lhe a mão, já começando a estressar. E, adivinhem? Ela apareceu na cabeceira da cama, toda espuleta, andando freneticamente. Então, antes de jogá-la de uma vez por todas no chão, pensei no meu avô. Lembrei de todas as vezes que ele revistava a cama antes de eu me deitar, horrorizado com o fato de que poderia haver alguma formiguinha ali por perto que entrasse em um dos meus ouvidos durante meu sono. Era uma revista mais que especial, e não só nos tempos de criança - ele fez isso enquanto conseguiu. Sempre me alertava: Filha, não tem nenhuma formiga aí? Se tiver, mate ela! E eu até me irritava as vezes, mas sabia que era cuidado, da melhor espécie possível. Depois do momento nostálgico, tirei a formiguinha com delicadeza e me deitei teorizando sobre o quanto esse tipo de detalhe é corriqueiro, banal, e até tão pequeno, e em quanta falta faz quando não acontece mais; dói e causa saudade - o sentimento mais urgente que existe.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010


Queria poder ter de volta meu coração de 6/7 anos atrás. Ah, nada como um coração adolescente! Sem medo de correr riscos, sempre enxergando o lado bom de tudo, vivendo de emoção e utopias reais. Queria que meu coração, agora, não soubesse fazer contas, não usasse lentes de contato, e não tivesse cérebro. Queria que ele fosse mais maleável, menos desconfiado, com formas mais arredondadas; e não assim, como o enxergo, cheio de veias e artérias. Queria que ele fosse menos frio, menos arredio, menos inconstante e menos incoerente. Queria muito, queria mesmo. É demais pedir pra apertar o rewind?

sábado, 23 de outubro de 2010

Você faz curva
E dá nó em goteira!
É toda dengosa,

A dona da risada mais gostosa.


Pra fazer o arco-íris
Pega seu sol

Mistura com minha chuva
E então vamos juntas pra festa da uva.



Pra você sou Tu

Tu pra mim és Cê

Me diz que certo é estar perto sem estar;

Pra mim o certo é você.
A qualquer momento,

Em qualquer lugar.



Cascavel - PR

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

hoje

hoje é um daqueles dias que sinto que tudo escorre por entre meus dedos.
é um daqueles dias cheios de coisa pra fazer, mas que não consigo terminar nada.
é um daqueles dias que a cabeça dói e o coração aperta.
é um daqueles dias que as horas voam, mas os minutos se delongam demais.
é um daqueles dias que quero mudar tudo, mas não posso.
é um daqueles dias que estou enjoada, entediada, e não aguento mais.
é um daqueles dias que tenho certeza de que já não são mais os mesmos dias.
não mais.





domingo, 17 de outubro de 2010


Bodhi: If you want the ultimate, you've got to be willing to pay the ultimate price. It's not tragic to die doing what you love.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Oposição?


Por Teice.

Ele é melhor do que você?
Por quê?
É o que dizem.
Ele é o mais forte,
Eu sou a mais frágil.
Mas muitas já não provaram o contrário?
Pense ágil.
Pense com liberdade,
O que há, é a igualitária diversidade.
Um pensa.
O outro também.
Logo os opostos se tornam um só em uma verdade.

domingo, 3 de outubro de 2010

Dia internacional do vegetarianismo


"And the flesh you so fancifully fry
Is not succulent, tasty or kind
It's death for no reason
And death for no reason is MURDER."
The Smiths - Meat is muder


Dia 01/10 foi o dia internacional do vegetarianismo.
Esse dia foi instaurado em 1977, o que deixa claro que ser vegetariano não é querer ser moderninho, como muitas pessoas postulam.
Ser vegetariano é mais que ter hábitos alimentares diferenciados - é um estilo de vida. É não se render ao fetichismo da carne, é lutar pelo abolicionismo animal. É não ter atitudes especistas; não acreditar que os animais devem satisfazer desejos humanos e morrer por eles.
É fazer a sua parte, e não comer animais só porque todo mundo come, ou ainda, porque faz parte da cadeia alimentar e se você não comê-los o mundo transbordará de animais que tomarão o espaço dos humanos (discursos comuns entre não vegetarianos).
Vegetarianismo é escolha! E as escolhas é que fazem possíveis a libertação animal, e, principalmente, a libertação humana.

Parabéns a todos que fazem parte dessa luta.


"Narciso se olhou dentro dos olhos
como se estivesse fora de seu corpo
nunca se sentiu tão doente."
Dorian, D.O.D

sexta-feira, 1 de outubro de 2010


Gravity
No escaping gravity
Gravity
No escaping... not for free
I fall down... hit the ground
Make a heavy sound
Every time you seem to come around
[Special K - Placebo]

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

domingo, 19 de setembro de 2010

Love will tear us apart, but There is a light that never goes out

Sabe aquele desmaselo e 'quero logo chegar em casa' de uma quinta-feira após a aula que foi maior do que o esperado? Comecemos.
Lá estava, esperando o ônibus, olhando para o nada, só sentindo o calor. De repente, não mais que de repente, ele aparece misteriosamente. Óculos escuros e camiseta preta do Joy Division.
- O quê?
Foi incrível. Eu estava com meus fones ouvindo The Smiths, e ele chega gritando Joy Division aos meus olhos.
Ele se sentou, carregava um livro relativamente grande, com letras vermelhas na capa, letras estas que não sei quais palavras formavam. Ele atendeu o celular, olhou pra mim. Nesse exato momento entrou um feixe da luz do sol pela janela do ônibus e iluminou seus olhos - eu os vi.
Ao fim do trajeto eu já sabia de cada detalhe: o jeitinho de se mexer, os cordões no braço direito, um mini-alargador na orelha esquerda. O sorriso de quem queria mostrar que estava ali.
Pensei nele o dia todo. Pensei nos caminhos que ele faz, nas músicas que gosta, nos livros que ele lê e nas cores que o constituem. Essa imaginação [não] além do comum foi suficiente para que no outro dia eu acordasse pensando nele.
Corro, super atrasada pra aula, e ao chegar ainda encontro um amigo que precisava de um favor. Ok. Meu corpo estava lá, mas a mente não. Não conseguia parar de pensar se iria vê-lo novamente - como, quando e onde. Então, acredite se quiser, olho pra trás inocentemente e o vejo vindo em nossa direção.
Olho pra frente denovo, respiro, já nem escuto mais o que meu amigo diz, crio coragem e o olho nos olhos - agora sem óculos escuros - e ele retribui, de um jeito muito cúmplice. Meu coração disparou e me odiei por não ter ido até ele e dito tudo que ensaiei no dia anterior.
Queria ter dito que, não consegui parar de pensar nele um momento sequer, e que as camisetas que antes eram azuis, agora são do Joy Division.


sexta-feira, 10 de setembro de 2010


Ela e o pai foram ao médico. Consulta de rotina pro tipo de pessoa que tem uma rotina louca. Na entrada, ele vai na frente, e ela, enquanto caminha atrás, tentando acompanhá-lo, se lembra do que tentou esquecer o dia todo, a semana toda. Os olhos ensaiam algumas lágrimas, e o pai senta deixando uma cadeira depois da dela. Aquele lugar vazio, o silêncio interno se opondo a frenética movimentação da sala de espera. O lugar que, provavelmente, não será ocupado tão logo. O pior, ou melhor, é que quem poderia ocupar aquele lugar nem ao menos imagina que ela esteja sofrendo por isso. Talvez ela só quisesse alguém pra alimentar um sonho maior, pra servir como motivação do trabalho árduo de cada dia que ela viveria até que o momento certo chegasse. Ela pensa em judeus, viagens, shows, madrugadas, mensagens de celular nas primeiras horas da manhã e camisetas azuis. Ela pensa buddy, pensa beloved. Ela pensa e se entristece a cada pensamento. Então ela se lembra de um inverno passado, e reflete: Que va-t-il faire de nos rêves? Mas, parece que os sonhos eram só dela. Então, seus sonhos estavam partidos e repartidos; quase dava pra tocar as fissuras. E agora? E a partir de agora? Qual será seu último pensamento do dia, a cor das camisetas e o DDD antes do número do telefone? A porta do consultório se abre. O médico chama o nome dela. Pode ser que seja um sinal, que veio pra mostrar que, querendo ou não, as portas se abrem. Ela entra e a consulta começa, mas, ao invés de pedir ao médico um remédio para o coração como tinha planejado, ela deseja que, ao sair, a mesma porta que causou todo esse mal entendido se feche.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Sobra tanta falta

De acordo com a psicanálise, quando somos bebês e somos separados da "mãe" pela Lei do Pai, quando somos separados desse Outro (Autre, en Français) que nos completa, nos sustenta e nos acolhe, acaba por existir em nós um buraco. A falta. A falta, o buraco que a Lei do Pai nos apresenta.
É importante dizer que necessidades são de ordem biológica e fisiológica, e não é disso que a pricanálise trata ao falar sobre a falta.
Ao sermos separados de nossas "mães" (uso aspas porque nos dias de hoje não é somente a mulher, mãe biológica do b
ebê que exerce esse papel), somos perpassados pela falta, por um buraco, e isso move nossos desejos, que se resignificam com o tempo.
Os desejos são provenientes do nosso Id [i
nconsciente]. Sua satisfação é sempre adiada e nunca atingida. Quando o sujeito não tiver mais desejos, morrerá. Os desejos são psíquicos e pertencem a ordem simbólica. Ao invés de se relacionarem com objetos concretos, o fazem com o fantasma ou fantasia: “o fantasma é, ao mesmo tempo, efeito do desejo arcaico inconsciente e matriz dos desejos atuais, conscientes e inconscientes” (CHEMAMA, 1995: 71).
Sobre o que Chemama nomeia 'desejos conscientes', Raul Seixas já dizia que "Gente nasceu pra querer." Então, falando especialmente de mim, querer é algo muito presente. Sempre inconstante, mas motivador. No impulso de querer tudo aqui e agora, me atrapalho, me resolvo, e continuo a querer sempre mais.



domingo, 5 de setembro de 2010

Open My Eyes - S.O.J.A

I open my eyes, each morning I rise
to find a true thought, I know that it's real
I'm lucky to breathe, I'm lucky to feel
I'm glad to wake up, I'm glad to be here

With all of this world, and all of it's pain,
all of it's lies, and all of it's let down
I still feel a sense of freedom
So glad I'm around

It's my freedom, can't take it from me
I know it, it won't change
But, we need some understanding
I know we'll be all right.

All right

The day I am gone, and the day that I leave
I'll never regret one minute of life
I've learned from the joy, I've learned from the tears
I've fought through the dark, now I see the light
Every tongue of everyone
in every state, of every land
has everything to be thankful for

It's my freedom, can't take it from me,
I know it, it won't change
but we need some understanding

'Cause I, I wait on you
'Cause you wait on me, so I wait on you.

I open my eyes, each morning I rise
to find a true thought, know that it's real
I can't tell you how, you can't tell me why
But living my life, is all I care
The burden can be, sometimes bigger than me
Sometimes stronger than me, and hard to bare
But I couldn't care less, no stress 'cause
Jah put me here.

It's my freedom, can't take it from me
I know it, it won't change
But, we need some understanding

I know you know
I wait on you
'Cause you wait on me
So I wait on you.

Pra ouvir, clique aqui. Musiquinha pra entrar no clima do show =D

Eu: - Vovó, em dezembro quero ir pro RJ assistir a um show.
Vovó: - Ah, daqueles que você assistiu em goiânia?
Eu: - Não. Dessa vez é um show de reggae.
Vovó: - Daqueles que tem umas trancinhas?
*Eu enchendo ela de beijos*

Vovó linda :D

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

(In) constância

Quero romper minha carne
Libertar minha consciência
Saindo de mim me tornar luz
Um comprimento de onda
Inconstante a vaguear
Cada segundo uma paisagem
Cada hora um novo amor
Viajar o mundo e poder ver tudo
Cortar o metal e não sangrar
Sem parada e sem objetivo
Se me foco perco o norte
Estática me inquieta
O novo, já é passado
Nem tive tempo de conhecê-lo
É a ânsia de conhecer
Junto ao medo de me prender
Um dia uma doce criança me disse:
- Porque você é...
Sendo assim inconstante
É só o que posso ser
Constantemente preso em mim
para assim não enlouquecer.

Por Descortinador Oculto - descortinando minha inconstância.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

daily

Todos os dias penso até quando isso vai durar, onde vai dar e como será depois.
Essa minha inconstância constante me permite fazer loucuras num dia e ser completamente apática no outro, só que as vezes as consequências não são tão passageiras, muito menos legais, e tampouco como eu queria que fossem.
Me agarro em conselhos [que, se fossem bons...], em experiências anteriores, em frases feitas; só que nada parece adiantar. Seguir esse lance de "Viva o hoje, o agora" tá me deixando descontrolada.
Como posso? Ou melhor, como pode? Como pode esse hoje ser assim?
Um hoje estressante, cheio de relógios que sufocam, obrigações que angustiam, dinheiro que não basta e nem é suficiente; já falei dos relógios? Relógios matam. E eu tenho 5 de pulso, o do pc, o da parede do quarto e o do celular.
Questiono aqui, a razão de hoje não ser um dia lindo à beira-mar, água e sal, ondas e som, areia e pés.
Questiono aqui, a razão de passar o pôr-do-sol trancada numa sala de aula com ar condicionado.
Questiono aqui, a razão de ter que viver momentos tão estressantes e angustiantes em prol da experiência na área que eu escolhi como profissão.
Vim dizer que, não quero me acomodar. Não quero ser como essas pessoas que não tomam atitudes drásticas por medo. Não quero que o dinheiro controle a minha vida e minhas escolhas. Muito menos que o relógio o faça.
Finalmente, mas certamente não pela última vez, vim dizer que "Tudo aqui está tão bem mas não me diz mais nada". É.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Respeitar a diferença não pode significar "deixar que o outro seja como eu sou" ou "deixar que o outro seja diferente de mim tal como eu sou diferente (do outro)", mas deixar que o outro seja como eu não sou, deixar que ele seja esse outro que não pode ser eu, que eu não posso ser, que não pode ser um (outro) eu; significa deixar que o outro seja diferente, deixar ser uma diferença que não seja, em absoluto, diferença entre duas identidades, mas diferença da identidade, deixar ser uma outridade que não é outra "relativamente a mim" ou "relativamente ao mesmo", mas que é absolutamente diferente, sem relação alguma com a identidade ou com a mesmidade (Pardo, 1996, p. 154).

As aulas sobre identidade tem feito sentido.

domingo, 22 de agosto de 2010

Bethânia

Bethânia, és mais bela que um inseto de sesamia
Esse pequeno inseto é parente das borboletas
Apenas externamente não tem as mesmas asas, olhos e estrelas
Mas... És tão alada quanto

Já ouviu a batida das asas de borboleta?
AlmaPsique
Vôo
Almanaque
Alma no leque

Tu, Bethânia, és uma âncora...
Isso tu tens estampado em teu corpo
Mas na verdade pra mim és uma sereia
Que no meu mar começa a nadar
Nas minhas areias... ancoreia

As vezes é engraçado o curso das coisas...dos rios
Somos dois rios que desaguamos num mesmo oceano
Através da adoração da natureza
Somos dois rios distintos mas, que deságuam
E ancoram um no outro... Até que nossas correntezas
Se tornem muito fortes e ... nos carreguem para nadar aos sete mares

Bethânia... bet bat girl bata bete balance meu amor, baile, bailarina,beautiful,
Beije,beiços,bocas,bons,boas,bom,bom,bom, doce como um bombom, namore
Deixe que a bateria role, deixa se levar pelo bom do amor... flor...

Presente poema/ poema presente da Marina!


[nenhuma imagem melhor do que essa pra ilustrar esse poema: eu, em um dos lugares que mais me dizem; certamente, onde um dia quero ancorar.]


sábado, 21 de agosto de 2010

Four Crucial Steps to Avoid Procrastination

At some point in our lives, most us have had some issues with procrastination. Perhaps it was while we were students, always leaving essays till the last minute. Maybe we struggle in the workplace, putting off reports and other big projects until they're suddenly urgent. Or we might just find ourselves making little headway in our personal lives – never quite getting around to the things which we'd like to get done.

Procrastination never makes us happy. It's not quality leisure time at all – it's a guilty waste of time where we engage in low-value activities (like looking at funny videos of cats on YouTube) because we're putting something off. And too much procrastination can have a seriously negative effect on our lives: it may cost us a promotion (or even a job), it may mean paying heavy fines or penalties, and it can make us feel miserable.

Like many problems, procrastination is best tackled before it even starts. So here are four steps to make sure that procrastination doesn't get a chance to take hold.

Step 1: Get Stuck In Straight Away
(...)

Continue reading here.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Disse

Chegou ao ponto de dizer que tem um apreço imenso? É. Disse que te quer bem, disse relacionamento, término, afeto, carinho, consideração e toda essa porra educadinha que as pessoas dizem pra disfarçar a indiferença quando o coração delas ficou completamente gelado.

Por Eduardo Gomes.

É, eu disse tudo isso.

domingo, 15 de agosto de 2010

So, goodbye Yellow Brick Road


Quantas vezes dissemos
estar certos de que
não iríamos nos machucar
e prometemos tanto
do que sabemos que
nenhum de nós poderia cumprir
só pra estarmos outra vez
fingindo que o dia ia passar
e se esquecer.

E hoje eu fecho os olhos
e tento fingir não saber
que minha vida me atira
a um entardecer do qual
nunca mais vou poder voltar...
mesmo batendo meus sapatos de cristal.

São tantas derrotas
que já não sei onde guardar
e mentir as vezes cansa.
Tantas vezes tentei
agarrar cometas que nunca pude alcançar.

Não há lugar como nosso lar...
Não há lugar como nosso lar...

E o furacão não veio
e meus pés doem demais
agora que meus sapatos
não param de dançar.
Eu só queria ter mais um dia
pra acreditar
que a terra do nunca existe afinal.


Não sei se continuo na estrada de Tijolos Amarelos na esperança de me encontrar com o Mágico de Oz, ou se troco de caminho, e pego alguma outra estrada de outra cor...

sábado, 14 de agosto de 2010

S2 Diabetes

A Receita Fereal do @ronaldrios, que foi ao ar no último episódio do @badalhocamtv.
Minhas madrugadas são altamente produtivas. Resolvi ver TV [coisa que nunca faço] e além de tudo aprendi essa receita. Agora pensa em alguém que gosta de cozinhar.. Custei a esperar pra comprar os ingredientes. Rs.

Essa receita é pra quem gosta de doces, pra quem não tem medo da diabetes, ou pra quem tem diabetes e não tá nem aí:

S2 Diabetes

- 1 bolo pronto de chocolate
- suco de maracujá
- uma caixinha de creme de leite
- uma caixinha de leite condensado
- sucrilhos [Cereais Matinais, segundo Ronald Rios]

Bata o suco de maracujá com o creme de leite e o leite condensado até q fique consistente. Leve pra gelar por 10 min. Corte o bolo ao meio e leve ao microondas por 1 min. Depois de gelado, coloque o 'mousse' de maracujá no meio do bolo, tampe, coloque por cima e polvilhe o sucrilhos. Bom apetite!!!

domingo, 8 de agosto de 2010

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

A virtual tour through Cascavel - Paraná (Brazil)

Have you ever been to Cascavel?
Wanna be my guest?
Join me!!!

Voicethread

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

We can build a new tomorrow, today
We can build a new tomorrow, today
We can build a new tomorrow, today
We can build a new tomorrow, today
We can build a new tomorrow, today
We can build a new tomorrow, today.
"Don't let them have their way,
You're beautiful and so blasé,
So please don't let them have their way
Don't fall back into the decay,
There is no law we must obey,
So please don't let them have their way,
Don't give in to yesterday

We can build a new tomorrow, today"

[Speak in tongues - Placebo]
Das coisas que eu amo:
rir até que minhas bochechas doam.


Obrigada a todos que me proporcionam isso.


segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Por que a gente chora?

Será por demora, por outrora, por Pandora?
Por fora, por dentro? Lamento.
Chega depressa, enche os olhos, aperta o coração;
Movimento cheio de sal, por qualquer mal, dribla a razão.
Penso bem... pego uma folha e rabisco,
que prefiro acreditar naquela história: a do cisco!

quinta-feira, 29 de julho de 2010


Eu gosto de pessoas.
Gosto do cheiro, dos rostos, dos gostos, das cores.
Mas, tem dias que não.
Eu gosto de ficar sozinha.
Das minhas ações, movimentos, pensamentos; do meu cheiro, da minha suficiência.
Tem dias que só quero pegar qualquer livro do García Márquez e viver, numa tarde nublada ou chuvosa.
Tem dias que só preciso que Placebo cante as minhas canções solitárias, que o Morrissey me convença do que eu já sei, e que o Nenê Altro grite mil glórias aos meus ouvidos.
Tem dias que só quero imaginar; só quero falar não aos que me perguntam; só quero dormir, ou ficar com os olhos ardendo por falta de.
Tem dias que quero que ninguém se lembre de mim; e também não quero me lembrar de ninguém.
É, tem dias e dias que só quero ser eu.
"Sabe, às vezes, penso mesmo que dizer “deixa pra lá” cansa menos. E você?"
"Sem muita idéia.
Traz esse bicho aqui.
Traz ele vivo que eu quero comê-lo gritando.
Grudar meus dentes na jugular.
Arrancar as tripas com os dedos.
Me traz esse bicho agora.
Quero misturar a saliva de minha boca com seu sangue.
Quero que a sujeira de meus dentes infeccione sua alma.
Me traz esse demônio desgraçado.
Vou cortar as porras de suas pernas
Me deixa esmagar com as mãos, sentir explodir e escorrer pelos braços.
Preciso disso.
Me deixa acabar com ele.
Me deixa engolir e cuspir.
Deixa mostrar pra esse filho de uma puta quem manda aqui porra.
Deixa fazer sentir toda força desse vazio.
Todo desespero de um homem num ponto perdido dentro da casca de um corpo que navega a meia noite num barquinho no breu de um oceano sem fim.
Me traz esse bicho Amor.
Quero acabar com ele.
Quero parar a dor."

Nenê Altro

O dia do não

Não quero, não posso, não vou.
Não, não, e não.
(...)

Hoje não, por favor.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Ironic - Alanis Morissette

An old man turned ninety-eight
He won the lottery and died the next day
It's a black fly in your Chardonnay
It's a death row pardon two minutes too late
Isn't it ironic... don't you think?

It's like rain on your wedding day
It's a free ride when you've already paid
It's the good advice that you just didn't take
And who would've thought... it figures

Mr. Play It Safe was afraid to fly
He packed his suitcase and kissed his kids good-bye
He waited his whole damn life to take that flight
And as the plane crashed down he thought
"Well, isn't this nice."
And isn't it ironic ... don't you think?

It's like rain on your wedding day
It's a free ride when you've already paid
It's the good advice that you just didn't take
And who would've thought... it figures

Well life has a funny way of sneaking up on you
When you think everything's okay and everything's going right
And life has a funny way of helping you out when
You think everything's gone wrong and everthing blows up
In your face

A traffic jam when you're already late
A no-smoking sign on your cigarette break
It's like ten thousand spoons when all you need is a knife
It's meeting the man of my dreams
And then meeting his beautiful wife
And isn't it ironic... don't you think?
A little too ironic.. and yeah I really do think...

It's like rain on your wedding day
It's a free ride when you've already paid
It's the good advice that you just didn't take
And who would've thought... it figures

Well life has a funny way of sneaking up on you
And life has a funny, funny way of helping you out
Helping you out

Para ouvir: Youtube

sábado, 17 de julho de 2010

Trilhas Interpretativas





O Trilhas, já carinhosamente apelidado por seus integrantes, é um projeto que visa proporcionar aos participantes atividades de aventura, com risco controlado. E, para isso, utiliza da consciência ecológica como ponto de partida, acreditando que o ser humano é capaz de compor com a natureza, usufruindo e cuidando ao mesmo tempo.
Além de um projeto de OSCIP, está se transformando em um grupo de amigos que compartilham da mesma paixão pela natureza; e que atuam em áreas de estudos diferentes, o que traz uma riqueza enorme e maiores chances de crescimento para o grupo.
Um grupo que tem alimentado meus dias e preenchido um grande espaço na minha vida.

Para saber mais: http://trilhasinterpretativasudia.blogspot.com/


quarta-feira, 14 de julho de 2010

Morno?!

Se tem algo que eu não gosto é o tal do 'morno'.
Leite morno, comida morna, clima morno, envolvimento morno, [e a lista continua], relacionamentos mornos.
Morno, pra mim, tem temperatura de vômito. E vômito não cheira bem, não é legal, entope o nariz, me faz chorar, e me deixa sem ar. A minha única consideração boa sobre o vômito é que às vezes ao vomitar eu melhoro o que estava sentindo.
E é assim também com os relacionamentos mornos. Pode ser tudo o que você precisa no momento, mas aquilo vai estragar com o resto. Você não sabe nada lindo sobre a pessoa, nenhum pequeno feito, ou um grande medo, ou algum sonho.
Não existe pior envolvimento do que o morno. Ou se envolve com algo, ou não. E, sabe, é muito melhor não se envolver do que se envolver mais ou menos.
Porque mais ou menos, pra mim, tem cheiro de vômito...

sábado, 10 de julho de 2010

What's my tribe?

Esse é um e-book que fiz usando o site Bookr.
É uma ferramenta muito interessante, e estou com várias idéias de uso!
Enfim, adorei fazer.. e acho muito relevante e aplicável a vários contextos e necessidades.

Wanna know what my tribe is? Check it out:

domingo, 4 de julho de 2010

Férias?!

Só eu que ainda não estou de férias?
Quero logo poder acordar tarde, cozinhar coisinhas gostosas, ver filmes longos, ler livros ótimos, curtir minha família, amigos e casa!
Acho que mereço...

sexta-feira, 25 de junho de 2010

auto-promoção

estou participando de um curso online sobre tecnologia e educação oferecido pela cultura inglesa, e vim aqui, deixar a vocês leitores, o endereço do meu portifólio, onde posto as atividades que desenvolvo semanalmente:

http://bethania.posterous.com/

beijos, me twittem!

domingo, 20 de junho de 2010

fluxo de consciência

dormir, sonhar, acordar, ver o mundo, ir pra faculdade, ir para o trabalho, voltar ou não pra casa, chegar o fim de semana, inúmeras coisas por fazer, trabalho, fichamento, resenha, resumo, prova, apresentação, aulas, micro-teachings, exercícios, livros, pesquisas, computador, dor nos olhos, procrastinação, twitter, windows media player cada vez mais depressivo, não ter tempo para exercício físico, não atender o telefone, correria, café, poesia, férias por vir, viagens, pessoas, sorrisos, cheiros e gostos, dormir, acordar e sonhar... aqui ou em qualquer outro lugar.




terça-feira, 15 de junho de 2010

We might as well be strangers

I don't know your face no more
Or feel the touch that I adore
I don't know your face no more
It's just a place, I'm looking for

We might as well be strangers in another town
We might as well be living in a different world
We might as well...

I don't know your thoughts these days
We're strangers in an empty space
I don't understand your heart
It's easier, to be apart

We might as well be strangers in another town
We might as well be living in another time
We might as well...
We might as well be strangers! Be strangers!
For all I know of you now...

[KEANE]

video


PARA LER OUVINDO/ASSISTINDO AO VÍDEO

e as relações são bem assim, né?

num dia somos inseparáveis, no outro, desconhecidos...
não sei se é bom ou ruim, nem sei se quero saber, mas é inusitado, indiferente, estranho, tão normal...
ver alguém que você tanto amou passando ali, do outro lado da calçada; nenhuma reação, nenhuma palavra.
ou as vezes alguém que você não queria ver nunca mais, e já não se importa em cruzar-se com ele na rua e olhar para o lado.
como se estivessemos em lugares e/ou tempos diferentes...
eu não sei como essas coisas acontecem.
mas sei que essa música toca em um lugarzinho aqui em mim que as vezes prefere ficar só aqui guardado.

domingo, 13 de junho de 2010

Tá tudo indo bem..

#EREL foi ótimo! uma experiência e tanto... conheci pessoas tão lindas e queridas; estreitei laços com meus amigos de grupo de estudo; me apaixonei por Campinas e pela Unicamp; saí, me diverti, passei muito frio, voltei gripada e com febre. Mas, cada segundo valeu a pena.
Semana corrida, apareci na UFU só na sexta. Trabalhei bastante, saí com meu pai e amigos pra uma exposição de arte na terça, passei mal na quinta... Tô vendo tudo com outros olhos.
Sexta a noite teve #Arraiá das Letra, trabalhei no correio elegante e conheci uma galera! Sábado de trabalho cansativo pós-festa; a noite assisti "Ele não está tão afim de você" pra um trabalho da faculdade. Hoje almocei na Dinha, fiquei o dia todo fazendo uns textos, uns trabalhos, ligada no www.stereomood.com.
Todas as noites sonhei com alguém que não sei quem é. Sabe quando o rosto não aparece? Só sei que a gente se diverte pra caramba e tá sempre junto.. quero descobrir logo.
Agora, arrumando coragem pra terminar um trabalho pra amanhã. Friozinho bom, e gostinho de fim de semestre.

Boa semana!!

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Tempo Fechado

O relógio nos olha à espreita
Rangendo os dentes na véspera do ataque


Ele tentará roubar todos os segundos
de um minuto
Todos os minutos de uma hora
E todas as dores de um só dia

Corramos como o vento, amor

Enquanto a tempestade corre as horas

A se perder de vista...

Augusto, 17/05/2010
[durante a aula de Linguística Aplicada]

domingo, 23 de maio de 2010

Estes sapatos não me cabem mais

Ainda me lembro quando eram confortáveis.
Sua visão me queima os olhos
E pasmo, vejo, não existe mais retorno
Parar o tempo, tentar voltar
Na beleza deixada em algum lugar...
Por todo esse limite que me impôs
Nem tudo pode ser contemplação
Não tenho mais seu tempo pra perder
Não tente me prender!

Que tenha pressa quem quiser me alcançar
Eu também tenho...
Novas paisagens que me façam encontrar
Outro destino!
[...]










O melhor exemplo do que não seguir - Dead Fish

domingo, 9 de maio de 2010


Parabéns, MAMÃE!
Toda irreverente, desbocada e explosiva!
É impossível não acreditar em Deus quando sei que tenho ao meu lado alguém que me ama de verdade e incondicionalmente; que daria por mim toda a sua vida e o que mais fosse preciso.
Parabéns também pra VOVÓ, e MADRINHA, que também são minhas mães em tempo integral. Só tenho a agradecer por ter 3 mães!

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Aqui o Jack sua frio

Saio da aula (na verdade, de um evento) mais tarde do que de costume, e bem mais tarde do que pretendia. Uma conversa aqui, um texto ali, uma confirmação de não-sei-o-que acolá... e pronto! Atraso feito, continuemos.
Bem ali, na fila enorme do R.U, imagino o que cada pessoa deve fazer após o almoço. Será que irão trabalhar? Dormir? Estudar? Amar? O que quer que farão, não é da minha conta mesmo. Me lembro que estou atolada por causa do PIPE e da disciplina de terça-feira e que este fim de semana será cheio de textos e trabalhos, para minha não surpresa. I'm Jack's complete lack of surprise. A fila é tão longa que me permito um momento de sentimentalismo por causa de uma sms que meu pai mandou de madrugada.
Almoço com a Lari, que tem sido a figura principal nas minhas correrias. Então vamos à biblioteca pegar um livro para o grupo de estudos de sábado a tarde. Ao olhar no relógio... I am Jack's raging bile duct. Como já é tudo isso? 13h05! E eu começo a trabalhar às 13h30. Corro para o ponto de ônibus, e ponho-me a disposição. E nada. Quando chegam, são 2 lotados, e ao tentar entrar no segundo, perco os dois. I am Jack's inflamed sense of rejection. Tudo bem, não adianta me desesperar mesmo.
O 3º ônibus chega, salvador da pátria e do meu emprego. Em partes. Ligo para minha mãe, para que ela ligue no meu trabalho, e diga que sim, ainda vou chegar. Maravilha! Considerando que a Universidade não fica tão perto do terminal (de ônibus) central, e que depois tenho que andar quatro quarteirões ainda... É, vou chegar, mas bem atrasada. Enquanto isso, o que me resta é viver como uma eterna sardinha.
Chego. Cadê meus alunos...? Déja vu. Vou olhar para porta da sala e entrar correndo e bufando, e verei meu coordenador dando aula para os meus alunos que estarão sem expressão alguma em seus rostos. Exato. I am Jack's cold sweat.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

juventude engajada?

pura mentira.

tava cheia de idéias pra esse post. mas, enfim! acontece de dar tilti mesmo...

a questão é que, vejo que as pessoas acham muito cool vestir uma máscara de engajamento e criticidade, enquanto vivem de acordo com as 'verdades maiores' impostas e NÃO fazem o mínimo esforço pra mudar. [mentalidade de plástico e uma imagem a zelar]
mas, enquanto eu puder incomodar, nem que seja um pouquinho, continuarei.

domingo, 25 de abril de 2010

*Welcome to Fight Club*


The first rule of Fight Club is: you do not talk about Fight Club.
The second rule of Fight Club is:
you DO NOT talk about Fight Club!

Third rule of Fight Club:
if someone yells "stop!", goes limp, or taps out, the fight is over.
Fourth rule: only two guys to a fight.
Fifth rule:
one fight at a time, fellas.

Sixth rule:
the fights are bare knuckle. No shirt, no shoes, no weapons.

Seventh rule:
fights will go on as long as they have to.

And the eighth and final rule:
if this is your first time at Fight Club, you have to fight.

sábado, 17 de abril de 2010

Abril

O mês de abril é rico em detalhes.
Céu azul e limpo, grama bem verdinha, e o sol, de manhã, tem cores em tom de ouro.

É quando o clima começa a esfriar e as noites são estreladas; outono...
Com horizontes tão nostálgicos e amáveis.
Ah, o outono! Mais um outono, outra vez abril.
Abril me abriu os olhos para uma beleza por tantos despercebida.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

POR QUE ME PREOCUPO TANTO COM ISSO?

Feminismo = POR QUE ME PREOCUPO TANTO COM ISSO?

Porque acham que tenho o papel que a sociedade quer que eu tenha;
Porque todos estão sempre esperando que eu esteja impecavelmente sedutora;
Porque viemos ao mundo pra sermos servidas aos homens em bandejas;
Porque se somos estupradas é porque provocamos;
Porque acham que somos objetos e, uma bunda, uma perna, uma boca... só um de cada vez;
Porque não podemos escolher se queremos e quando queremos ser mães;
Porque mulheres quando ficam grávidas são dispensadas de seus empregos mesmo que isso seja inconstitucional;
Porque vejo mães sofrendo horrores para criarem seus filhos sozinhas, sem creches, e recebendo metade do salário pelo mesmo serviço prestado por um homem;
Porque recebo olhares que estão constantemente apontando alguma falha em minha imagem, ou me parabenizando por estar bem, do jeito que se é esperado;
Porque vejo nos classificados uma vaga para secretária que exige boa aparência;
Porque só sou considerada capaz depois de provar poder fazer;
Porque somos tratadas como idiotas que só sabem gastar dinheiro e devem aprender como fazer um homem feliz na cama pelas revistas "femininas";
Porque devo cuidar do visual pra próxima temporada;
Porque muitas mulheres continuam acreditando que a diferença biológica impõe esses papéis naturalmente;
Porque vejo a competição entre outras meninas que se analisam de cima em baixo, quando deveríamos nos abraçar e esquecer todos esses afazeres perante a sociedade...


"If you don't live for something, you'll die for nothing."